quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Um poeta se inspirou em mim...

Palavras atraentes
Rimas
Sentido
Breve relato, sentimento profundo embriagado de solidez e lucidez.
Que mistura fantástica de trocadilhos e métricas
Que mistura fantástica de mentiras inertes
Que mistura fantástica daquilo que não se diz para qualquer um
Palavras atraentes
Rimas
Sentido
Inspiração*
Momento*
Fantasia*
Tempo*
Eu ganhei um poema... cheio de incerteza.
Certeza só daquilo que não pode - minha certeza!
Eu ganhei um poema... onde sou a única * musa inspiradora!
Que sensação estranha:
Um poeta se inspirou em mim!

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Conto sem fim...

Parte I
Num Reino encantado, distante da civilização, vivia um belo rapaz. Belo não apenas na beleza externa, mas em seus puros sentimentos, rapaz honesto, de bem com a vida, pronto à ajudar até mesmo as pessoas que não precisavam de ajuda. Por viver em um lugar distante, sempre estava ocupado demais com seus afazeres domésticos e auxiliando o pai, mas vivia este belo moço: triste. A época de importantes tomadas de decisões e definição de um caminho em sua vida se aproximara e este rapaz, não tinha idéia do que fazer de sua, até então, monótona existência. Dias de Sol e Calor, como de costume, deitava-se embaixo do seu pé de laranja de "estimação" e ficava ali horas e horas monologando com as cabras que passavam por sua frente; cabras estas que pareciam não se importar com sua presença. Ignoravam-no. Pobre moço infeliz, que nem das cabras conseguia arrancar um minuto de atenção. Virou-se para o lado, fechou os olhos e sonhou... Sonhou com aquilo que seus olhos nunca tiveram apreciado, que seu olfato jamais tivera sentido, que suas mãos jamais tocaram... Sonhou com a vida que, naquele lugar, jamais teria. Viu-se em cima de um palco, chorando... Descarregando mágoas e sentimentos de profunda dor e indescritível.Em plena escuridão, silêncio total...sem murmúrios...nem mesmo o vento assobiava entre os tímpanos libertos e quase inutilizados.
O único som que ecoava em sua mente era o som do vento acariciando as folhas das árvores, e a sensação de liberdade... (continua)
* ELG

segunda-feira, 6 de outubro de 2008


Depois de muita correria: dedicação plena!
Não há palavras que descrevam o prazer em perceber que alguma coisa mudou, que a batalha valeu a pena e que a primeira guerra foi vencida, soldados foram feridos, curativos embriagados de humanização cicatrizaram suas feridas; guerreiros nobres se entregaram nesta batalha inusitada.
Diante de seu comandante as ordens foram acatadas e suas vidas deixaram de ser apenas uma existência no mundo amargo e cruel, da falta de criatividade.
CRIATIVIDADE, misturada de muita força de vontade e garra para alçar mais uma vitória;
A vitória daqueles bravos guerreiros foi conquistada nas alturas, alturas de um Balão...
Asas foram dadas à sua imaginação, as Asas alçaram seu verdadeiro vôo, seu primeiro vôo... a mesma sensação de quem se entrega ao que ama!
Preciso descrever?

Dê 'Asas' a sua imaginação, lute pelo que acredita e conquiste o seu espaço...
Os verdadeiros guerreiros são aqueles que lutam bravamente, que caminham unidos numa mesma causa e que sabem o verdadeiro sentido de uma guerra...
Deixo registrada aqui a largada à verdadeira guerra... estamos guerreando contra aqueles que não incentivam a leitura, que não acreditam na Cultura, que não semeiam a arte; contra aqueles que acreditam que já fazem demais, em um mundo onde nada nunca é demais...
Declaramos guerra, aos fracos que não sabem lutar pelos seus verdadeiros sonhos...
Declaramos guerra, àqueles que não se uniram contra nós, e estes, pobres ‘fracotes’, mal sabem que fortes somos e temos garra, e estamos confiantes e certos que alcançaremos todos nossos objetivos.
E o maior deles... Ah o maior deles...
(foto: Grupo Teatral Dr. Palhaço, em apresentação no SESC Apucarana em 01/10/2008 - sob as "Asas da Imaginação")