terça-feira, 3 de agosto de 2010

Mais uma noite entediante




Sei que é redundante, ou até parece burrice, mas realmente, tem dia que a noite é FODA!
Estou vendo aquele programa do Rafinha Bastos, A LIGA, e hoje o foco é saúde mental.

Bom assunto para pensarmos, os critérios (se posso dizer isso), de ser ou não normal , perante a sociedade.
O homem (englobando tudo), constitui sua personalidade de acordo com as vivências, as relações fazem o ser humano, afinal ninguém nasce pra ser sozinho ou estar sozinho, estes fatos são apenas consequências.
Agora pouco uma das internas, de uma clínica afirmou ter namorado o Elvis Presley e disse também, que ele comia pó royal e ficou doidão(rs).
Sabe o que é mais engraçado? Esta mulher, em sua suposta loucura, está lá... VIVA, enquanto ele, na suposta loucura dele não aguentou a pressão. É a vida! Pregando peças, mudando o que deveria ser lógico.
Quando estou de folga, sou um perigo. Eu reflito demais, tem dia, que choro tantoooooo... e nem choro por causa de mim, não! Choro porque tem gente passando fome enquanto estou comendo, tem gente passando frio enquanto estou coberta, tem gente sozinha, pensando as mesmas coisas que eu!
Eu sei... ok ok... já sei, não vou conseguir mudar o mundo...eu sei disso! Mas posso pensar sobre, me indignar, fazer a minha parte. REZAR!
O bom da minha quarta-feira é que trabalho cedinho, preparo aula e atividade no período da tarde e também leciono à noite. É bom fazer aquilo que gostamos, é bom ser reconhecido por méritos nossos.(sejam lá quais são né?!)
Por mais que hoje tenha sido uma folga, eu fiz bastante coisa, li muito, muitooooo mesmooooo, li sobre tudo um pouco, espiritualidade, saúde, como ter um bumbum durinho em poucos dias, 10 maneiras de se tornar rico sem sair de casa, receita de brigadeiro, os 3 porquinhos, minha bula de remédio pra garganta, temas para redação 2010, horóscopo (não que eu acredite), fiz até a numerologia do meu nome (eu sou o 7 - e isso parece ser bom).
Eu leio bastante, eu gosto! E quase nunca posso ler o que gosto, são tantos textos do mestrado, coisas e coisas e coisas e coisas... tem hora que meu cérebro faz um nó (se foi possível).
Ai ai, falo (escrevo) demais né?
Sim eu sei, me falta algo. Por isso escrevo tanto, pra suprir alguma necessidade!
Mas é aquilo né, dia normal, com coisas normais, patadas de quem eu gosto e assim vai...
Boa noite!