quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Leandro e Leonardo x frangos de estimação

Há muitos e muitos anos, em um lugar tão tão tão tãooooo distante, numa vila com nome de rei, moravam em uma chácara uma bela família, no caso, a minha família! Papis criava porquinhos, franguinhos, plantava café, milho, tínhamos também um amplo pomar, com as mais variadas frutas. Como em todas as datas especiais, comemorávamos com uma mesa farta e muita sodinha e tubaína, afinal só nos feriados podíamos tomar refrigerante, pratica constante apenas para os ricos, na época.

Crescemos conhecendo vários animais, brincando na terra, pulando a cerca do viznho para "pegar"emprestado alguns abacates, brincando de guerrinha de cocô de vaca, o que era muito potente quando pegava entre as costelas, perto do rim, como doía depois, mas era bem interessante, era uma pratica esportiva na realidade: arremesso de cocô de vaca!
Quem disse que no sítio não tem esse tipo de coisa? Tem sim, acho até que deveria haver as "Olimpíadas dos caipiras", imagina a diversidade esportiva!
Como a convivência com os animais era normal para nós, costumávamos dar nome aos bichos mais queridos, o bode se chamava Mimo, os cachorros variavam entre Bob, Balú, Baliza, Abule, Scoob e assim foi, os gatos então, quanta criatividade, variava entre Mimi e Juninho, quando um sumia ou ia pro céu dos gatos, o seu nome era perpetuado, como forma de lembrança eterna.
Assim, minha irmã adotou dois lindos frangos brancos e colocou seus nomes : Leandro e Leonardo! Sim, sim, baseado em sua admiração pela dupla, que iniciava seus maiores sucessos na época, há muitoooo tempoooo mesmoooo!
Todos os dias, lá ia a jovem moça, dar bom dia aos frangos: Bom dia Leandro! Bom dia Leonardo!
Todos sabemos que quando chamamos algum animal por um nome é sinal que há amor pelo tal, certo?
Ok!
Data comemorativa se aproximando, eba eba eba dia de muita tubaína, sodinha e frango assado com farofa! Especialidade da minha mãe!
Todos nós estávamos ansiosos pelo almoço, fomos brincar, para que o tempo passasse mais depressa e pudéssemos provar as delícias daquela data.
A família toda em volta da mesa, uma falando mais alto que o outro, um querendo a coxa do frango, o outro querendo o peito e o outro a asa, coisa de família grande!
Enfim, comemos e bebemos, no fim do almoço, minha querida irmã resolveu ir visitar seus galos de estimação, ela foi cantando, sorrindo e de barriguinha cheia!
Chama o Leandro, procura o Leonardo, olha de um lado, olha de outro e não encontra nenhum, neste momento começa a grita pela mãe: "Mãeeeeeeeeeeee roubaram o Leandro e o Leonardoooooo, ou eles fugirammmm!"
Depois destas breves palavras, minha mãe, pálida, olha pra minha irmã e olha pra mesa!
Olhar fatal!
Tínhamos devorado o Leandro e o Leonardo!

Era o início da realidade cruel, onde toda criança precisa entender que, ou sua mãe não tem amor pelos seus bichos de estimação, ou que os frangos tem um gostinho bom, ou ainda que usar nome de dupla sertaneja em bichos que você ama dá azar!

Baseado em fatos verídicos!


Bjos da Deli