domingo, 26 de setembro de 2010

Reflexão sobre a Educação




Chuva e mais chuva!
Há alguns dias, tenho refletido sobre muitas coisas ao mesmo tempo: comportamento humano, respeito, carência, instrução familiar, falta de amor!
Sabe o que é pior?
Não chegar em uma solução palpável!
Eu trabalho há algum tempo como professora, e eu acredito que esta profissão deveria ser a mais reconhecida em todo o mundo, de verdade!
O professor, atua por amor, paixão pelo que faz, ele se dedica, prepara aula, estuda anos, anos e anos, se aperfeiçoa, fica horas em filas de leilão de aulas para conseguir uma vaga numa escola pública, ele acorda de madrugada quase todos os dias, dorme tarde, reserva a maior parte de seu tempo para sua profissão, para estar preparado para os seus alunos.
Na semana passada, atuei como PSS (quem é da área sabe), em alguns colégios da cidade e fiquei assustada com uma realidade que eu não conhecia muito bem: alunos extremamente carentes, com fome, respondões, sem interesse e o pior de tudo: sem limites!
Alguns deles, dizem com a maior naturalidade do mundo: "Professora, meu pai matou um homem e tá preso!"ou então: "Professora, minha mãe tem nove namorados!"
Não estou generalizando a situação, só pontuando o que me fez pensar.
E me fez pensar muito...
Infelizmente os pais, acreditam que hoje, a tarefa do professor é educar seus filhos, e passa toda a responsabilidade para nós e ao mesmo tempo, tiram esta responsabilidade! Confuso, não?
Não sou mãe de nenhum deles, sou a professora! A pessoa que está ali para ensiná-los, para encaminhá-los para uma outra vida, bem diferente da que estão vivendo, uma vida com mais qualidade, com menos violência, com mais responsabilidade e amor.
Eu ensino por amor!
Todas as manhãs antes de ir pro trabalho eu agradeço a Deus por mais um dia e pela minha profissão, por ter me abençoado com um dom tão divino, o dom de ensinar!
E na verdade, nenhum professor, simplesmente ensina, ele cria situações onde o seu aluno busca novas soluções e aprende sozinho!
Eu sonho com dias melhores, com escolas com boa estrutura, material didático adequado, professores preparados e com vontade de trabalhar, não alguns que estão lá, sabe Deus por qual motivo.
Tem muita gente que não vê o professor como fator fundamental no crescimento humano de cada um e o criticam, xingam, humilham, não respeitam, perseguem.
Mas é aquilo:
Se você leu tudo que eu escrevi até agora, PARABÉNS!
E agradeça ao seu professor ,afinal de contas, foi ele quem te ensinou a ler e a escrever!

Bom domingo chuvoso para todos!
Bjos da Deli

8 comentários:

  1. concordo com o que você diz e penso que não é tarefa do professor educar o estudante, mas sim orientar.

    ResponderExcluir
  2. é amiga é o que conversamos esses dias, está cada vez mais difícil ser professor, porém como vc sempre fala, temos que tentar mudar a situação!!!

    bjo linda parabens pelo texto"

    ResponderExcluir
  3. Oooo meu querido, é mto bom ter seu comentário por aqui, viu? Bjos

    ResponderExcluir
  4. Esta reflexão conta a dura realidade do que realmente acontece no ensino publico do Brasil.
    Eu como educador vejo a educação da mesma forma que a Edelise e gostaria muito que a educação no futuro fosse diferente, que possamos trabalhar mais com a nossa competencia tecnica e menos com a comportamental.
    Acredito sim em um futuro melhor.

    bjo... e belo comentario

    ResponderExcluir
  5. anônimo I:
    É bem esta situação, orientar, ensinar, mas jamais educar!

    ResponderExcluir
  6. Oi Michel, obrigada por comentar!
    É nossa tarefa tornar as mudanças possíveis!
    Vamos trabalhar ;]
    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Olha professora, não desanime, você esta no caimho certo e tudo será melhor, afinal você acredita que haverá dias melhores!
    Um grande abraço, sempre leio seus textos e adoro!

    Mariana

    ResponderExcluir
  8. Oi Mariana!
    Acredito sim e tenho certeza que mais pessoas, como eu, acreditam e lutam para que haja melhoria!
    Um abraço

    ResponderExcluir

Obrigada por acessar o Blog Ateliê das Letras!
Um grande abraço!
Edelise Gabardo