segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Deficiências, por Quintana

Encontrei um belíssimo texto de Mario Quintana intitulado "Deficiências" , como vídeo no youtube, aliás tem muita coisa boa por lá!
Apreciem-no:


"Deficiente" é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.

"Louco" é quem não procura ser feliz com o que possui.

"Cego" é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.

"Surdo" é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.

"Mudo" é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.

"Paralítico" é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.

"Diabético" é quem não consegue ser doce.

"Anão" é quem não sabe deixar o amor crescer.

E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:

"Miseráveis" são todos que não conseguem falar com Deus.

"A amizade é um amor que nunca morre."

Bjos da Deli

Dica de Filme: O Discurso do Rei

Olá pessoal, segue uma dica bem bacana de um bom filme "O discurso do Rei", abaixo o artigo que li no site UOL e que me fez ter muito interesse, espero que gostem. Postei o trailer também! 

Bjo da Deli

O Discurso do Rei

Reinaldo Polito
Não sobrou pra mais ninguém. O filme “O Discurso do Rei” se torna ainda mais eloquente com 12 indicações para o Oscar 2011. Incluindo aí alguns dos prêmios da Academia mais cobiçados, como melhor filme, melhor ator (Colin Firth), melhor diretor (Tom Hooper), melhor ator coadjuvante (Geoffrey Rush), melhor atriz coadjuvante (Helena Bonham Carter) e melhor roteiro original.

 Não há dúvida, é filme bom chegando à praça. “O Discurso do Rei” traz uma mensagem que nos permite profundas reflexões. Segundo Geoffrey Rush (indicado para melhor ator coadjuvante), que faz o papel de Lionel Logue, o professor de oratória do rei, é uma história charmosa, comovedora, potente e emocionante.
É a história de um homem que de uma hora para outra, sem esperar e sem se sentir preparado para assumir o posto, se tornou o Rei George 6º da Inglaterra. Por ser gago e ter, obviamente, muita dificuldade para se comunicar, sofria muito com esse problema. O filme mostra como ele se dedicou para eliminar suas deficiências até conseguir falar em público, porque só assim se sentiria pronto para o cargo.  
Com a morte do Rei George 5º o trono inglês passou ao sucessor natural, o Rei Edward 8º. Ocorre que este rei se apaixonara por Wallis Simpson, uma americana que estava se divorciando. A realeza inglesa não concordou com aquele casamento. Edward não se curvou e preferiu abdicar.
Sua carta de renúncia é ao mesmo tempo uma tocante declaração de amor: “Mas, deveis acreditar-me ao declarar-vos que julguei impossível continuar a assumir a minha pesada responsabilidade e a preencher, como desejaria, os deveres de rei, sem o auxílio e o apoio da mulher a quem amo”.
Para encurtar a história e compreender melhor quanto custou essa decisão, basta dizer que ele deixou de receber 4 milhões de libras que lhe cabiam como herança de seu pai, e teve de se virar apenas com os bens que conseguiu amealhar. Viveu exilado até sua morte, em 1972.
Quem poderia imaginar que um rei deixaria o trono para se casar com o amor da sua vida! Por isso, o Príncipe Albert, Duque de York, se surpreendeu quando a coroa, literalmente, caiu em sua cabeça. Principalmente por sofrer de gagueira e não conseguir se expressar em público se achava incompetente para o cargo.
Bertie, como era chamado carinhosamente, era tão tímido que precisou da ajuda da esposa para encontrar um fonoaudiólogo que pudesse afastar aquele drama da sua vida. Rush, que viveu de forma tão intensa esse papel, disse que o problema não era físico, que algo havia ocorrido aos quatro ou cinco anos, algum trauma que provocou a gagueira.
Segundo o ator, ver alguém que luta contra uma incapacidade que se arrasta desde criança e superá-la é como superar todos os problemas. Para isso tem de se dedicar e trabalhar muito para controlá-lo, acertá-lo e libertar-se de alguma forma. E mais, o trabalho só daria resultado se houvesse confiança e cumplicidade entre ambos.
Deparamo-nos aqui com um desafio difícil de ser contornado. Afinal, um era rei e o outro apenas um profissional da fala. Como poderia haver confiança e cumplicidade nessa situação. Bem, não só conseguiram ultrapassar esse obstáculo como construíram uma bonita amizade. Foi assim, que o rei conseguiu fazer seu discurso. O discurso do rei.
Poder, hierarquia, conquistas sociais ou profissionais não são necessariamente requisitos para que alguém perca o medo de falar em público ou consiga excelência na comunicação. O contrário sim pode ser verdadeiro. Aprender a falar bem pode ser o ponto de apoio para o desenvolvimento de uma carreira, independentemente da sua importância.
Quando ministros, governadores, presidentes de importantes empresas multinacionais procuram o nosso curso para desenvolver a comunicação, a reclamação é recorrente: esse desconforto que sinto para falar em público não combina com minha posição. E não combina mesmo. Por isso estão ali. Precisam se dedicar e se preparar para fazer o discurso do rei. Seja lá qual for o seu reinado. 
 
Fonte: http://economia.uol.com.br/planodecarreira/artigos/polito/2011/01/26/o-discurso-do-rei.jhtm

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Quero voltar a confiar (Arnaldo Jabor)

"Fui criado com princípios morais comuns: Quando eu era pequeno, mães, pais, professores, avós, tios, vizinhos eram autoridades dignas de respeito e consideração. Quanto mais próximos ou mais velhos, mais afeto. Inimaginável responder de forma mal educada aos mais velhos, professores ou autoridades…
Confiávamos nos adultos porque todos eram pais, mães ou familiares das crianças da nossa rua, do bairro, ou da cidade… Tínhamos medo apenas do escuro, dos sapos, dos filmes de terror…
Hoje me deu uma tristeza infinita por tudo aquilo que perdemos. Por tudo o que Meus netos um dia enfrentarão. Pelo medo no olhar das crianças, dos jovens, dos velhos e dos adultos.
Direitos humanos para criminosos, deveres ilimitados para cidadãos honestos. Não levar vantagem em tudo significa ser idiota. Pagar dívidas em dia é ser tonto… Anistia para corruptos e sonegadores… O que aconteceu conosco? Professores maltratados nas salas de aula, comerciantes ameaçados por traficantes, grades em nossas janelas e portas.
Que valores são esses? Automóveis que valem mais que abraços, Filhas querendo uma cirurgia como presente por passar de ano. Celulares nas mochilas de crianças. O que vais querer em troca de um abraço? A diversão vale mais que um diploma. Uma tela gigante vale mais que uma boa conversa. Mais vale uma maquiagem que um sorvete. Mais vale parecer do que ser…
Quando foi que tudo desapareceu ou se tornou ridículo? Quero arrancar as grades da minha janela para poder tocar as flores! Quero me sentar na varanda e dormir com a porta aberta nas noites de verão! Quero a honestidade como motivo de orgulho. Quero a retidão de caráter, a cara limpa e o olhar olho-no-olho. Quero a vergonha na cara e a solidariedade. Quero a esperança, a alegria, a confiança! Quero calar a boca de quem diz: “ temos que estar ao nível de…”, ao falar de uma pessoa. Abaixo o “TER”, viva o “SER” E definitivamente bela, como cada amanhecer.
E viva o retorno da verdadeira vida, simples como a chuva, limpa como o céu de primavera, leve como a brisa da manhã! Quero ter de volta o meu mundo simples e comum. Vamos voltar a ser “gente” Onde existam amor, solidariedade e fraternidade como bases. A indignação diante da falta de ética, de moral, de respeito... Construir um mundo melhor, mais justo, mais humano, onde as pessoas respeitem as pessoas. Utopia? Quem sabe?..."

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Curiosidades da nossa língua

Algumas curiosidades da nossa língua:

SABE O QUE É UM PALÍNDROMO?
NÃO?!
 
Um palíndromo é uma palavra ou um número que se lê da mesma maneira nos dois sentidos, normalmente, da esquerda para a direita e ao contrário.
Exemplos: OVO, OSSO, RADAR. O mesmo se aplica às frases, embora a coincidência seja tanto mais difícil de conseguir quanto maior a frase; é o caso do conhecido:
SOCORRAM-ME, SUBI NO ONIBUS EM MARROCOS.
Diante do interesse pelo assunto (confesse, já leu a frase ao contrário), tomei a liberdade de selecionar alguns dos melhores palíndromos da língua de Camões...
ANOTARAM A DATA DA MARATONA

ASSIM A AIA IA A MISSA

A DIVA EM ARGEL ALEGRA-ME A VIDA

A DROGA DA GORDA

A MALA NADA NA LAMA

A TORRE DA DERROTA

LUZA ROCELINA, A NAMORADA DO MANUEL, LEU NA MODA DA ROMANA: ANIL É COR AZUL

O CÉU SUECO

O GALO AMA O LAGO

O LOBO AMA O BOLO

O ROMANO ACATA AMORES A DAMAS AMADAS E ROMA ATACA O NAMORO

RIR, O BREVE VERBO RIR

A CARA RAJADA DA JARARACA

SAIRAM O TIO E OITO MARIAS

ZÉ DE LIMA RUA LAURA MIL E DEZ

...

E sabe o que é tautologia?

É o termo usado para definir um dos vícios, e erros, mais comuns de linguagem.
Consiste na repetição de uma ideia, de maneira viciada, com palavras diferentes, mas com o mesmo sentido.


O exemplo clássico é o famoso ' subir para cima ' ou o ' descer para baixo ' . 

Mas há outros, como pode ver na lista a seguir:
 
- elo de ligação
- acabamento final
- certeza absoluta
- quantia exata
- nos dias 8, 9 e 10, inclusive
- juntamente com
- expressamente proibido
- em duas metades iguais
- sintomas indicativos
- há anos atrás
- vereador da cidade
- outra alternativa
- detalhes minuciosos
- a razão é porque
- anexo junto à carta
- de sua livreescolha
- superávit positivo
- todosforam unânimes
- conviver junto
- facto real
- encarar de frente
- multidão de pessoas
- amanhecer o dia
- criação nova
- retornar de novo
- empréstimo temporário
- surpresa inesperada
- escolha opcional
- planear antecipadamente
- abertura inaugural
- continua a permanecer
- a últimaversão definitiva
- possivelmente poderá ocorrer
- comparecer em pessoa
- gritar bem alto
- propriedade característica
- demasiadamente excessivo
- a seu critério pessoal
- exceder em muito

- eu pessoalmente

Note que todas essas repetições são dispensáveis.
Por exemplo, ' surpresa inesperada ' . Existe alguma surpresa esperada?
É óbvio que não.
Devemos evitar o uso das repetições desnecessárias.
Fique atento às expressões que utiliza no seu dia a dia.
 E segundo Pasquale,  assim, se fala em bom português :

No popular se diz:
' Esse menino não para quieto,
parece que tem bicho carpinteiro '


Correto: ' Esse menino não para quieto, parece que tem
bicho no corpo inteiro '
 VOCÊ SABIA?

Batatinha quando nasce, esparrama pelo chão. '

Enquanto o correto é: ' Batatinha quando nasce, espalha
a rama pelo chão. '


' Cor de burro quando foge. '


O correto é: Corro de burro
quando foge!


Outro que no popular todo mundo erra:


' Quem t
em boca vai a Roma. '

O correto é:

' Quem tem boca vaia Roma.
' (isso mesmo, do verbo vaiar).


Outro que todo mundo diz errado,

' Cuspido e escarrado '
- quando alguém quer dizer que é muito parecido com
outra pessoa.

O correto é:
' Esculpido e encarnado"


Mais um famoso... ' Quem não tem cão, caça com gato. '


O correto é:

' Quem não tem
cão, caça como gato... ou seja, sozinho! '


Vai dizer que você falava corretamente algum desses?

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Tragédias...

Já percebeu que todo começo de ano, alguma tragédia acontece?
Por esses dias a chuva tem mostrado, mais do que nunca, sua força devastadora.
Não há canal de TV que não esteja com algum noticiário de plantão falando sobre a realidade de N famílias, tanto do RJ quanto de SP ou MG, ontem mesmo assisti a um vídeo onde uma mulher foi puxada por uma corda e estava segurando seu cachorro, infelizmente o cachorro a mordeu e ela o soltou,  e o animal sumiu na correnteza, foi uma cena extremamente chocante. Assim como é chocante ver pessoas chorando desesperadamente já que perderam casa, móveis, carros, animais de estimação e a pior de todas as perdas: A FAMÍLIA!

Não há lugar escolhido pela chuva, não há classe social, a catástrofe simplesmente chegou e mostrou sua fúria.
E ainda, com todo desespero, saques estão acontecendo e a polícia precisa focar energia em mais este problema.

Em certos momentos não sei o que pensar, mas vamos nos conscientizar e ajudar esse pessoal como pudermos, não importa qual religião você tenha, reze, ore, medite... mas mexa-se!




terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Promessas "ano novo, vida nova"

Faz tempo que não escrevo algo de minha autoria aqui, mas é que eu não sabia ao certo o que escrever.
Li muitas coisas, ri de outras, descansei bastante daquela correria de fim de ano e fiquei aqui pensando nos inusitados desejos de começo de ano, nas coisas que as pessoas PROMETEM...suas metas, será que todos cumprem?

Tem gente que promete perder uns quilos, comprar um carro, arrumar outro emprego, casar, ter filhos, trocar de moto, arrumar os dentes, deixar o cabelo crescer, mudar o visual, ajudar, arrumar um namorado, terminar o namoro, fazer plástica, comprar uma bicicleta, parar de fumar, comer menos besteiras, cuidar da saúde, viajar, se estressar menos, curtir mais a vida... o interessante das promessas de "ano novo, vida nova" é que não se vê ninguém promentendo pensar mais sobre o desmatamento, sobre a fome e as doenças no Haiti, ninguém promete pensar em uma solução para as enchentes de São Paulo ou pelo aumento excessivo dos juros, ninguém prometeu pensar em uma maneira coerente de aumentar o salário minímo (que é uma vergonha), ninguém prometeu tirar alguém da rua e ajudá-lo a encontrar um lar, alguém sabe de alguém que se comprometeu a solucionar o problema da falta de emprego, moradia digna e uma boa alimentação, para aquelas pessoas que não possuem uma vida digna de um ser humano?
Promessas, promessas, promessas...
são apenas promessas!
E o comprometimento, nde fica?
As promessas de ano novo, duram menos do que qualquer outra promessa, duram o tempo necessário pra muitas pessoas perceberem que não possuem garra o suficiente para atingir seus objetivos, muitas pessoas são fracas, no primeiro pedaço de chocolate ou copo de refrigerante, adeus dieta! No primeiro desentendimento, adeus namorado novo! Na primeira noite sozinha, adeus "não fumarei este ano"!
Pois é minha gente, tenham garra, confiança e muita força de vontade, sejamos comprometidos e menos individualistas, está na hora de ter o pensamento maior, não só por você, mas por quem está ao seu lado e você mal sabe que existe, se não for assim: ADEUS "ano novo, vida nova"!

Quem dorme até tarde não é vagabundo, diz ciência

Quem dorme até tarde não é vagabundo, diz ciência

Segundo neurologistas, o que essas pessoas têm é distúrbio do sono atrasado
por Bruna Bernacchio
Shutterstock
Pessoas com o gene da "verpertilidade" têm predisposição para acordar tarde
Alvo de críticas de familiares e amigos, quem gosta de ficar na cama até a hora do almoço pode ter um motivo científico para a "vagabundagem": o distúrbio do sono atrasado. O assunto foi um dos temas abordados no 6º Congresso Brasileiro do Cérebro, Comportamento e Emoções, que aconteceu recentemente em Gramado.
O organismo humano tem um ciclo diário, de modo que os níveis hormonais e a temperatura do corpo se alteram ao longo do dia e da noite. Depois do almoço, por exemplo, o corpo trabalha para fazer a digestão e, conseqüentemente, a temperatura sobe, o que pode causar sonolência. 
Quando dormimos, a temperatura do corpo diminui e começamos a produzir hormônios de crescimento. Se dormirmos durante a noite, no escuro, produzimos também um hormônio específico chamado melatonina, responsável por comandar o ciclo do sono e fazer com que sua qualidade seja melhor, que seja mais profundo.
Pessoas vespertinas, que têm o hábito de ir para a cama durante a madrugada e dormir até o meio dia, por exemplo, só irão começar a produzir seus hormônios por volta das 5 da manhã. Isso fará com que tenham dificuldade de ir para a cama mais cedo no outro dia e, consequentemente, de acordar mais cedo. É um hábito que só tende a piorar, porque a pessoa vai procurar fazer suas atividades durante o final da tarde e a noite, quando tem mais energia.
O pesquisador Luciano Ribeiro Jr. da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), especialista em sono, explica que esse distúrbio pode ser genético: "Pessoas com o gene da ‘vespertilidade’ têm predisposição para serem vespertinas. É claro que fator social e educação também podem favorecer”. Mas não se sabe ainda até que ponto o comportamento social pode influenciar o problema.
A questão, na verdade, é que o vespertino não se encaixa na rotina que consideramos normal e acaba prejudicado em muitos aspectos. O problema surge na infância. A criança prefere estudar durante a tarde e não consegue praticar muitas atividades de manhã. Na adolescência, a doença é acentuada, uma vez que os jovens tendem a sair à noite e dormir até tarde com mais frequência.
A característica vira um problema quando persiste na fase adulta. “O vespertino é aquele que já saiu da adolescência. Pessoas acima de 20 anos de idade que não conseguem se acostumar ao ritmo de vida que a maioria está acostumada”, diz Luciano. Segundo ele, cerca de 5% da população sofre do transtorno da fase atrasada do sono em diferentes graus e apenas uma pequena parcela acaba se adaptando à rotina contemporânea.
O pesquisador conta também que, além do preconceito sofrido pelos pais, professores e, mais tarde, pelos colegas de trabalho, o vespertino sofre de problemas psiquiátricos com maior frequência: depressão, bipolaridade, hiperatividade, déficit de atenção são os mais comuns. Além disso, a privação do sono profundo, quando sonhamos, faz com que a pessoa tenha maior susceptibilidade a vários problemas de saúde: no sistema nervoso, endócrino, renal, cardiovascular, imunológico, digestivo, além do comportamento sexual.
O tratamento não envolve apenas remédios indutores do sono, como se fosse uma insônia comum. É necessária uma terapia comportamental complexa, numa tentativa de mudar o hábito, procurando antecipar o horário do sono. Envolve estímulo de luz, atividades físicas durante a manhã e principalmente um trabalho de reeducação.
E as pessoas que têm o hábito de acordar às 4 ou 5 horas da manhã? “O lado oposto do vespertino é o que a gente chama de avanço de fase. Só que esse não tem o problema maior no sentido social. Ele está mais adaptado aos ritmos sociais e profissionais. Os meus pacientes deste tipo têm orgulho, já ouvi mais de uma vez eles dizendo ‘Deus ajuda quem cedo madruga’”, diz o neurologista.

Fonte: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI148505-17770,00-QUEM+DORME+ATE+TARDE+NAO+E+VAGABUNDO+DIZ+CIENCIA.html

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Placas curiosas

Vou postar aqui umas placas curiosas que achei no Kibe Loko...algumas chegam a dar calafriossssss...outras mostram que os professores de português terão muito trabalho pela frente!












segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

10 resoluções saudáveis para 2011

10 resoluções saudáveis para 2011

Por Fernanda Emmerick

1. Perca peso
Um dos mais desejados - e complexos - objetivos de se atingir. Ainda assim, o sucesso pode ser alcançado se não esperarmos que aconteça da noite para o dia. Paciência e força de vontade são grandes aliados no processo. Para que o desespero não tome conta, tente anotar tudo o que você consome e preste atenção para não sair da linha. A manutenção de um diário alimentar vai ajudá-lo a observar o que já foi conquistado.

2. Mantenha contato com os amigos
Pessoas com vida social ativa e forte laços familiares vivem mais do que aquelas mais reservadas. Na era da tecnologia, os danos causados por contatos baseados apenas em redes sociais podem ser tão graves quanto os por abuso de álcool ou cigarro.
"As relações verdadeiras nos fortalecem e nos protegem das situações adversas e/ou estressantes. Mas a amizade tem que ser autêntica e sincera, não basta ter muitos amigos virtuais se você não pode contar com eles nos momentos difíceis", complementa o psicólogo Armando Ribeiro das Neves Neto, professor da USP. Portanto, desligue o computador e vá visitar seus amigos!

3. Pare de fumar
As tentativas são muitas, mas deixar de lado o cigarro é uma tarefa árdua. Existem diversos métodos para atingir o objetivo, mas muitas vezes pensar no bolso é o mais eficaz. Todos os malefícios que o vício traz para a saúde são constantemente divulgados, logo, perceber o quanto se pode economizar é uma boa ideia!

4. Diminua o estresse
Um pouco de pressão e estresse é crucial para termos entusiasmo e energia. Mas quando ele passa a ser crônico, aumenta o risco de sofrermos males como depressão, obesidade, doenças cardiovasculares e insônia. "O estresse afeta o funcionamento do sistema nervoso, hormonal e imunológico, além de propiciar o aparecimento de comportamentos que eu chamo de mal-adaptativos: o uso de drogas, o comer compulsivo, entre outros", alerta Neves Neto.  Apesar de fazerem parte da vida moderna, alguns agravantes como poucas horas de sono, falta de exercícios e má alimentação podem ser evitados. Aproveite o ano novo para relaxar, dormir e passar mais tempo de qualidade com a sua família!

5. Seja um voluntário
Nem sempre o segredo da felicidade está apenas em nós mesmos. Ajudar o próximo é um ingrediente indispensável para uma vida feliz e saudável. "Quando se apaixonar de verdade por um trabalho social, acabará colocando-o na lista das suas prioridades", garante o especialista em produtividade pessoal Christian Barbosa. Os benefícios da participação em projetos voluntários são direcionados àqueles que recebem o apoio e, também, aos que se dedicam para tal. Emoções positivas nos tornam mais jovens!

6. Volte a estudar
O reencontro com os livros, não importa qual for sua idade, aumenta o ciclo de amizades, melhora a carreira profissional e ainda impulsiona as funções cerebrais. Além de ganhar conhecimento, a memória torna-se mais ativa e doenças, como Alzheimer, têm o potencial de surgir significantemente reduzido! "Essa é uma alternativa para exercitar a mente, que funciona de forma análoga à musculação para o corpo. Malhar o cérebro vai deixá-lo mais protegido contra doenças e, ainda que um problema ocorra, um acidente vascular, por exemplo, as demais partes do cérebro, estando bem preparadas, darão conta de compensar a perda. Na prática, isso significa um risco menor de limitações físicas, mesmo se algo der errado porque, nesse caso, a recuperação será muito melhor", explica o neurologista André Gustavo Lima, do Hospital Barra D´or, no Rio de Janeiro.

7. Reduza o consumo de bebida alcoólica
O excesso de álcool pode afetar neurotransmissores cerebrais e aumentar as chances de perda de memória, depressão e convulsões. Ainda que faça bem em pequenas quantidades, não se pode esquecer os prejuízos que acarreta ao fígado e coração.

8. Durma mais
Uma boa noite de sono é mais importante para a saúde do que se pode imaginar. Além de ser uma fonte de bom humor e de uma pele mais jovem, quem dorme bem vê reduzidos os riscos de desenvolver obesidade e diabetes. "Já aqueles que dormem pouco submetem o organismo a um estresse caracterizado por alterações bioquímicas que podem levar, por exemplo, ao aumento do colesterol e do triglicérides, marcadores que estão relacionados a vários problemas de saúde", ensina o neurofisiologista Flavio Alóe, do Centro de Estudos do Sono do Hospital das Clínicas (SP). Então, aproveite para ir para a cama mais cedo hoje e não se culpe por isso!

9. Coma menos gordura e mais vegetais
Fazer substituições inteligentes e enriquecer a dieta é bom para o corpo e a alma. O ômega-3 é uma boa opção, pois ajuda o cérebro a funcionar melhor e é essencial para a regulação hormonal. Essa gordura contribui para a perda de peso e previne doenças cardíacas. Abuse, também, dos vegetais! Eles são baratos, ricos em vitamina K, o que fortalece os ossos e alivia a depressão, e fáceis de manusear e cozinhar! "Frutas, legumes, verduras, feijões, cereais, tubérculos e raízes possuem uma quantidade de vitaminas antioxidantes, boas gorduras e fibras que supera em muito a dos alimentos industrializados. Além disso, o consumo dos vegetais garante uma menor disponibilidade de açúcar simples e sódio na dieta, o que, evidentemente, diminui o risco de doenças como o diabetes, a hipertensão e outros problemas associados", diz a nutricionista Isis Tande da Silva, do Ganep Nutrição Humana.

10. Viaje mais
Mudar de ares, conhecer diferentes cenários, aprender e descobrir coisas novas. Tudo isso é possível numa viagem, que nos tira da rotina e revitaliza. Mais do que um simples lazer, trata-se de um exercício para o bem-estar e rejuvenescimento!