sexta-feira, 8 de abril de 2011

Dê tempo ao tempo

Pode ser pecado pensar como estou, mas me sinto aliviada em saber o fim que teve aquele filho da p*** que assassinou friamente meninos e meninas em uma sala de aula, onde iremos parar?
O que esperar do futuro?
O que esperar dos ex-alunos revoltados? Dos homens de pouca fé e daqueles que nem mesmo sabem o que significa isto?
O que esperar?
Tenho medo do amanhã, não temo somente por mim, temo por aqueles que podem perder suas vidas pela ignorância do outro, pelo espírito de vingança, pela falta de Deus!
Após assistir ao jornal do meio-dia, meu dia praticamente acabou.
Não sei o que eu faria se fosse comigo, com meus alunos, por menores ou maiores que fossem.
Não sei se daria tempo de reagir ou se daria tempo de correr, não sei se eu correria...não sei se eu teria coragem de socorrer e carregar junto a mim, aquelas pobres crianças, agora sem vida!
Ao policial que acertou o tiro no bandido: Parabéns pelo trabalho!
À família desolada dos que foram cedo demais: Tempo e Deus!
Amo ser professora e estar com meus alunos, por mais difíceis que sejam, confesso que eu não saberia viver sem algum deles na minha vida!
Peço a Deus que esteja confortando cada família, cada professor, cada aluno e cada ser humano como eu, que está revoltado e com um nó na garganta que insiste em não sarar!
Fé!
Força!
DEUS!