segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Fazer escolhas! Ou não.

Reprodução Google Imagens
Fazer a escolha certa é uma das indagações mais profundas dos seres humanos.
Escolher demanda responsabilidade para assumir o que quer para você, sendo bom ou não.
Estar disposto a ser responsável pode parecer maduro demais e algumas pessoas não querem estar maduras o tempo todo.
Fugir dos problemas, pedir socorro para quem está por perto - pai ou mãe-, correr ... também são escolhas, quem sabe não as mais sábias, mas as mais rápidas.
Somos indecisos porque temos pressa, queremos que tudo seja resolvido como num passe de mágica e nada é bem assim.
Saber aguardar, saber avaliar e saber manter, são ações que podem nos ajudar a adaptar-nos às certezas da vida.
Soa estranho estarmos certos, quem realmente tem certeza do que quer?
Quem realmente sabe o que é melhor para si?
O essencial não é estar certo, mas sim ter vontade de arriscar e coragem para decidir.
As nossas maiores decisões foram precedidas de dúvidas. 
Nada vai estar resolvido num estalar de dedos, pelo contrário, ao decidir o melhor caminho suposto, acredita-se que tudo aconteça naturalmente.
Fazer a melhor escolha não é o difícil, difícil é saber conviver com ela.
Por Edelise Gabardo.