quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Soluções para a vida em 3 minutos, por favor!

Fonte: divulgação
Desde criancinha me lembro de ter vários animais em casa, mas não apenas cães e gatos, também passarinhos, coelhos, frangos, porcos e um bode!
Minha infância foi muito saudável se comparada à infância virtual de hoje, naquela época brincávamos na terra, subíamos em árvores, comíamos goiaba direto do pé.
Bom mesmo era fazer cabaninhas no milharal! 
Lembrando deste tempo, penso no que será do futuro.
Quais serão as diversões? Ficar cada vez mais dentro de casa vidrado na TV?
Hoje assisti a uma palestra online de um educador, o Mário Sérgio Cortella (a palestras vc encontra neste link aqui http://www.youtube.com/watch?v=ozxoOOaE__U), que dizia que nossa sociedade atual é uma sociedade baseada na "miojenização", sim isso mesmo, nossa sociedade quer tudo pronto em apenas 3 minutos. O tal educador tem mesmo razão. Parece que todo mundo tem pressa de viver, de aproveitar sabe-se lá o que e acabam esquecendo das consequências.
Tem alguns jovens que bebem demasiadamente aos fins de semana, como se aquele fosse o último fim de semana de suas vidas.
Fiquei pensando nisso muito tempo hoje, até quando será assim?
Até quando as pessoas irão continuar vivendo suas vidas como se cada dia fosse o último?
Este pensamento é coisa de gente inconsequente, que ao invés de focar sua energia em algo promissor, prefere ser egoísta o suficiente para manter-se feliz, como se isto fosse sua última atitude, do último dia de suas vidas.
Eu prezo sempre pela nossa felicidade, acho que o sentida da vida está bem aí.
Mas até que ponto nossa felicidade deve ser consequência de atitudes medíocres e vergonhosas?
O mesmo educador, ainda comentou sobre a socialização, ou melhor, a falta dela.
Não sei na casa de vocês, mas eu como comida caseira EM CASA e não em restaurantes.
Hoje as famílias esqueceram de certos valores e procuram o essencial, nas ruas. 
Como eu disse, pensei sobre o assunto a tarde toda e me rendeu boas reflexões, esta palestra fez parte de um trabalho pedagógico que participei, onde também me dei conta de que em diversas situações rotineiras, nada mais é transmitido através de um passo-a-passo, mas sim apenas como um resultado, muitas vezes negativo e frustrante. 
O leite, antes de chegar na caixinha, precisa sair da vaca!
O milho, antes de virar bolo, precisa ser plantado!
A rosa, antes de desabrochar, precisa ser cultivada!
Um criança, antes de conhecer as maravilhas do mundo, deveria saber o valor delas!
Uma pessoa, antes de julgar a outra, precisa saber que não é melhor do que ninguém!
E assim vai...

Edelise Gabardo