domingo, 2 de junho de 2013

Domine a língua

Na verdade escrever não é tão fácil assim, não é sentar e deixar as palavras saírem como se fossem suaves sinfonias ou doces gestos.
Escrever requer concentração, tempo, local, café (ou chocolate quente), escrever requer querer escrever.
A dificuldade deste ato está justamente aí, em querer escrever.
Por exemplo, na faculdade (embora se pense que as pessoas estejam super maduras...) poucos querem escrever durante as aulas, convenhamos que conversar com os amigos pode ser bem mais interessante. Entretanto o necessário se faz. É necessário saber escrever. Seremos cobrados: no vestibular (aqueles ali já passaram por este fantasma), nas avaliações dissertativas, entrevistas de emprego, ao preencher um documento no trabalho ou somente para conquistar alguém (as cartinhas de amor e/ou mensagens estão precárias).
Saber escrever e ter domínio do básico do básico do básico da língua portuguesa é pré-requisito para um possível interesse (como 'ansioso' e não 'ancioso', 'com certeza' e não 'concerteza').
Conviver com a língua se faz desde o ventre, e como não dominá-la?
As mulheres dominaram os homens das cavernas. Os homens dominam seus carros (ou pensam que).
Por que não dominamos nossa língua?
Oras... conversar com o amigo, reitero... parece ser muito mais interessante!
Interessante mesmo é escrever este texto, pensar no que escrever, me preocupar com a gramática, pensar se por acaso alguém irá ler, querer compartilhar no Face, comer chips, acompanhar a Dança dos Famosos (O Faustão irrita muitoooo) e ainda conversar sobre o jogo do São Paulo com o maridão (agora são 20h23, só para constar).
Ok, EU sou assim!
Tudo bem se o mundo não se concentra.
Concentrar-se é para uma pequena minoria que se preocupa realmente com o seu produto final e que quer um bom resultado naquilo que faz.
Algumas pessoas podem até pensar: "_ Para ela é fácil, ela é professora!"
Que nada!
Além de professora eu sou INTERESSADA!
E por ter interesse nas coisas que faço, me proponho a fazê-las da melhor forma possível.
Mas EU sou assim, afinal conversar com os amigos parece ser bem mais interessante do que fazer aquilo que você, supostamente, deveria ter feito!
Mas... reflita:
Domine... pelo menos a língua!