quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Breve esclarecimento sobre Falar Errado


Primeiro de tudo gente: Falar errado é algo complexo demais!
Verdade, dentro da Língua Portuguesa existe a Norma Padrão Culta e a Linguagem Coloquial. A primeira vai nos direcionar para vários ambientes como: trabalho, faculdade, concursos... e a segunda vai nos libertar para falarmos como quisermos em ambientes descolados, como a casa de amigos, por exemplo.
Sim Sim quando alguém chega perto de mim e solta um adstringente "di", em vez de "dei", minha reação é sempre dizer: "Rapaz do céu, você falar em voz alta DEI já pega mal, agora escancarar este DI aí te arrebenta!" Se eu tiver um nível ultra-mega-demais de amizade, lascou, porque lógico que o pobre coitado será zoado, afinal todos sabemos que: A ZOEIRA NÃO PODE PARAR!
A questão é que, quando há liberdade entre os interlocutores dentro de um discurso X, de forma descontraída pode-se ensinar algo e transmitir uma regra ou uma correção onde a pessoa não fique constrangida.
Agora o que vejo por aí são tiradas em pessoas simples. Gente, sério! Nós temos a obrigação de conhecermos as maneiras e maneiras de comunicação entre diversos grupos sociais, temos o dever de estarmos por dentro das gírias e dialetos específicos de todos os grupos possíveis, pois comunicar-se provém de inúmeros meios. Devemos entender e estudar um pouco sobre preconceito linguístico, assim como variações regionais, por exemplo, onde o nosso caipira do interior fala com trejeitos específicos e o sertanejo do Nordeste do país fala de outra maneira e ambos conseguem se entender,
Vamos nos entender? Sem neuras... Na dúvida se está ou não falando certo, leia!
A leitura cura tudo e te transforma. E se você muda, tudo a sua volta se torna diferente e quem sabe você não seja o escolhido para fazer a diferença no mundo e transmitir algo para alguém?

Beijos Beijos
Edelise